Canal VE

13 de abril de 2024

São Paulo concentra um terço dos postos de recarga do Brasil

Veículo elétrico recebe recarga de energia em eletroposto

Rede de recarga de veículos elétricos está em crescimento. Foto: Envato/Elements

A maior participação de veículos elétricos nas ruas e avenidas do Brasil vem chamando a atenção. E com ela, cresce também o número de postos de carregamento públicos e semipúblicos no país.

De acordo com levantamento da Elev, empresa que traz soluções para o ecossistema de carros elétricos, a cidade de São Paulo já possui 445 carregadores, o que representou um aumento de 11,25% entre junho e agosto de 2022. 

A capital paulista concentra cerca de um terço de todos os carregadores públicos e semipúblicos para veículos elétricos do Brasil, já que a estimativa é de um total de 1.300 equipamentos no país.

Para Ricardo David, diretor da Elev, embora os números estejam em crescimento, ainda é necessário mais investimento estrutural para a demanda desse tipo de automóveis no Brasil.

“Tivemos um crescimento importante no número de postos na principal capital do país, a cidade de São Paulo. Ao mesmo tempo, o número ainda é baixo quando consideramos outras capitais do mundo, como é o caso de Oslo, na Noruega, onde os postos de gasolina estão se convertendo em eletropostos. Ainda são necessários mais investimentos no setor no Brasil”, defendeu Ricardo.

Infraestrutura para o crescimento

Já são 100 mil VEs em circulação no país, segundo dados da ABVE (Associação Brasileira do Veículo Elétrico). Mas, segundo os especialistas, ainda é preciso melhorar a infraestrutura de toda a cadeia do transporte elétrico. 

A falta de uma rede ampla de eletropostos ainda é um desafio para a descarbonização da mobilidade urbana. Muitos motoristas ainda preferem carregar o VE em casa

“Por mais que tenhamos uma diminuição no valor dos combustíveis no último mês, isso não torna a gasolina e o diesel como algo que traz um custo benefício a longo prazo. Deste modo, cada vez mais pessoas vão migrar para os veículos híbridos e elétricos, aumentando cada vez mais a demanda por carregadores”, diz Ricardo David. 

O diretor da Elev diz que os benefícios dos veículos elétricos são mais perceptíveis a longo prazo, uma vez que o alto custo de um modelo como esse ainda é uma barreira a ser superada no Brasil. 

Para exemplificar, ele diz que os VEs têm “uma economia de cerca de 84%, em média, no valor de recarga em comparação aos carros movidos a combustíveis fósseis”, e que a manutenção “está na ordem de 15% a 25% do valor gasto nos automóveis de combustão”.

 

Ler o Anterior

Competição incentiva estudantes a construir veículos a hidrogênio

Ler o Próximo

Unicamp abre inscrições para curso sobre mobilidade elétrica

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular