Canal VE

13 de abril de 2024

Competição incentiva estudantes a construir veículos a hidrogênio

Carro da equipe Unicamp Baja Sae foi batizado de Júpiter. Foto: Divulgação/Unicamp Baja SAE

Fomentar o conhecimento do hidrogênio (H2) como combustível para veículos e preparar estudantes para o mercado de trabalho. Esse é o propósito do projeto SAE Brasil & Ballard Student H2 Challenge, que acontece nos dias 13 e 14 de agosto de 2022, no Esporte Clube Piracicabano de Automobilismo (ECPA), em Piracicaba (SP).

A iniciativa, pioneira, oferece a estudantes universitários a oportunidade de trabalhar com tecnologia de ponta e interagir com engenheiros experientes da indústria nacional e internacional na aplicação de hidrogênio em veículos Baja e Fórmula SAE.
É a primeira vez que o desafio acontece de forma presencial. Criado em 2020, o projeto envolveu 15 universidades brasileiras, mas todas as etapas classificatórias foram realizadas virtualmente, por causa da pandemia. Agora, os estudantes de oito equipes têm a chance de participar de um evento em conjunto, favorecendo a troca de experiências e conhecimento.

Entre as equipes participantes está a Unicamp Baja SAE, que tem 60 integrantes, estudantes de engenharia, dentre elas, mecânica, elétrica, computação e física. “Todo o processo de desenvolvimento do projeto e conceito, a construção do protótipo e o acompanhamento de profissionais são fundamentais para a nossa formação, e a vivência em equipe é uma ótima maneira de desenvolvê-la” diz Alessandro Forgioni Buccioli, capitão da equipe.

Equipe da Unicamp com veículo movido a hidrogênio
Equipe Unicamp Baja SAE tem 60 integrantes. Foto: Alessandro Forgioni Buccioli/Unicamp Baja SAE

“O projeto de hidrogênio é um grande desafio, pois se trata de uma tecnologia muito nova. Ainda não se sabe muito sobre as especificidades do hidrogênio, em comparação com o quanto já conhecemos dos motores à combustão. Eventos como esse são oportunidades para discutir ideias e projetos com engenheiros e conseguir provar que o conceito funciona. O objetivo principal é colocar a tecnologia em prática. Dessa maneira, esperamos afetar a mobilidade no Brasil”, afirma Buccioli.

Conhecimento e transformação

De acordo com a SAE Brasil, que organiza o evento, a competição entre os estudantes, organizados em equipes e supervisionados por professores e orientadores, tem sido uma fórmula de sucesso que contempla o ciclo de desenvolvimento de um produto, desde a concepção até a entrega final.

Desde o início do projeto, os estudantes participaram de cursos preparatórios gratuitos. Entre os temas selecionados estavam veículos elétricos a hidrogênio, tecnologia de célula a combustível, segurança do hidrogênio, fontes de produção, abastecimento, design e transformação energética, entre outros.

Além disso, engenheiros técnicos da SAE Brasil acompanharam todo o trabalho das equipes para a construção e operação de quatro Bajas e quatro Fórmula Sae híbridos (célula a combustível).

Apoio de empresas

O lançamento do SAE Brasil & Ballard Student H2 Challenge aconteceu em parceria com a Sobratema e a Biosphere World 2020 (BW Expo Summit Digital), durante o webinar “BW Talks Transformação Energética – Hidrogênio”, em junho de 2020.
Já a Air Products, empresa que tem 250 projetos de estações de abastecimento de hidrogênio, em 20 países, está oferecendo o gás que será utilizado como célula combustível no evento. Para Edson Basílio, gerente de aplicações e desenvolvimento da Air Products Brasil, o apoio é fundamental para o desenvolvimento de novas tecnologias.

“É muito importante investir e expandir as tecnologias para aumentar a disponibilidade de novas alternativas, como o hidrogênio. Eventos como este reforçam o potencial desse combustível”, afirma.

“O envolvimento de parceiros nacionais e internacionais, que doaram produtos, além de terem contribuído com serviços, conhecimento e apoio técnico, bem como o engajamento dos voluntários da SAE Brasil, foi crucial para o sucesso dessa iniciativa”, diz Monica Saraiva Panik, mentora da Mobilidade a Hidrogênio da SAE Brasil, e diretora institucional da ABH2 (Associação Brasileira de Hidrogênio).

Fórmula SAE Brasil

O primeiro desafio de hidrogênio acontece simultaneamente com a 18ª Competição Fórmula SAE Brasil-TotalEnergies, que reúne mais de mil estudantes de 63 equipes de 11 estados brasileiros, e que volta a ser presencial depois de dois anos de interrupção.

Carro do tipo Fórmula SAE cruza a linha de chegada em competição
Fórmula Sae Brasil chega à 18ª edição. Foto: Divulgação

Os carros, do tipo Fórmula (52 a combustão e 25 elétricos), são projetados e construídos pelos estudantes sob a orientação de professores, e preparados para disputar provas estáticas e dinâmicas.

Segundo Renato Kazuo, diretor geral do Comitê Técnico da competição, o regulamento está mais flexível em 2022 por causa dos efeitos da pandemia no desenvolvimento dos projetos.

“Resolvemos focar na reconstrução da dinâmica do conhecimento interrompida pela pandemia. Os alunos que participaram presencialmente em 2019 se formaram e os que estão chegando não têm histórico da prática do aprendizado em sala de aula”, afirma o engenheiro.

Ler o Anterior

Crise? Elon Musk vende quase US$ 7 bilhões em ações da Tesla

Ler o Próximo

São Paulo concentra um terço dos postos de recarga do Brasil

One Comment

  • O que dizer de um evento desse. Fantástico para esses alunos e alunas de Engenharia. Experiência que vão levar pra sempre em suas carreiras.

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular