Canal VE

18 de maio de 2024

GWM confirma produção de dois híbridos no Brasil a partir de 2024

Picape GWM Poer vermelha aparece dentro de fábrica da montadora

GWM anuncia início de fabricação no Brasil da picape Poer para maio de 2024. Foto: Divulgação/GWM.

A Great Wall Motors Brasil vai iniciar as operações da linha de montagem da fábrica de Iracemápolis (SP) em 1º de maio de 2024, com a produção de dois veículos híbridos: um SUV e uma picape (leia mais abaixo). 

O anúncio aconteceu em 27 de abril de 2023, com a presença do vice-presidente do Brasil, Geraldo Alckmin, e do CEO Américas da GWM, James Yang.

A fábrica será a primeira do Brasil dedicada exclusivamente à produção de veículos híbridos e elétricos e a maior da GWM no Ocidente. 

Com a data de início das operações definida, a planta, onde funcionava a antiga fábrica da Mercedes no país, vai iniciar agora seu projeto de modernização e ampliação da linha de montagem, para aumentar a capacidade instalada.

A ideia é ampliar a capacidade atual de 20 mil veículos por ano para o limite de 100 mil veículos por ano, possibilitando a geração de aproximadamente 2 mil empregos diretos.

“A neoindustrialização do Brasil passa necessariamente pela descarbonização e pela inovação, pela criação de meios de produção mais sustentáveis e eficientes. Há uma sinergia entre este projeto de desenvolvimento de tecnologia da indústria automotiva brasileira conduzido pela GWM e o pensamento do governo brasileiro”, afirmou Geraldo Alckmin.

“Esse é mais um passo importante da história da GWM no Brasil, com o anúncio do início das operações da sua fábrica em Iracemápolis, cujos veículos híbridos, com gasolina e etanol, estarão à disposição dos consumidores brasileiros e da América Latina a partir do próximo ano”, disse James Yang.

Executivos caminham por fábrica da GWM de Iracemápolis
Executivos da GWM acompanham visita do vice-presidente do Brasil, Geraldo Alckmin, à fábrica da empresa. Foto: Divulgação/GWM.

Modelos confirmados

A GWM confirmou que vai produzir dois modelos na fábrica de Iracemápolis: um SUV e uma picape, ambos modelos híbridos, que vão compartilhar a mesma plataforma e motorização.

Um dos modelos anunciados é a picape média que se chamará Poer (pronuncia-se “póuer”). O veículo foi apresentado com uma camuflagem parcial, indicando que ela já iniciou a fase de desenvolvimento de projeto para atender à legislação do país e às exigências do mercado local.

Quando for lançada comercialmente, a GWM Poer será a primeira picape híbrida produzida no Brasil. A montadora também confirmou que o modelo será flex, podendo ser abastecido com etanol para reduzir ao máximo sua pegada de carbono. 

A picape Poer será também o primeiro veículo flex do mundo desenvolvido pela GWM, unindo assim a eficiência do motor elétrico com a autonomia do combustível verde brasileiro.

Já o modelo SUV a ser produzido pela fábrica de Iracemápolis ainda não foi confirmado. Por enquanto, a GWM comercializa no Brasil o Haval H6 importado.

Geraldo Alckmin, vestindo blazer, posa para foto em frente a picape GWM Poer vermelha
Geraldo Alckmin participa de anúncio de nova picape da GWM. Foto: Divulgação/GWM.

 

Demanda pela eletrificação

Além de suprir a demanda do mercado nacional por carros mais modernos, conectados e eletrificados, o aumento da capacidade produtiva tem também como objetivo fazer da unidade de Iracemápolis um polo de exportação de veículos eletrificados para toda a América Latina. 

A fábrica brasileira será a quarta base completa de produção da GWM no mundo (e a primeira fora da Ásia), que inclui ainda as unidades operacionais na China, na Rússia e na Tailândia. 

Os recursos necessários para a ampliação da fábrica, contratação de colaboradores e início da produção fazem parte do plano de investimento de R$ 10 bilhões que a GWM destinou para a operação brasileira, com prazo de duração de dez anos, anunciado pela GWM em janeiro de 2022.

A determinação da Autotech brasileira de produzir apenas modelos híbridos e elétricos na planta de Iracemápolis faz parte do compromisso global da GWM de atingir a neutralidade de carbono em todos os seus mercados mundiais até 2045.

Além disso, a empresa assinou um convênio com o governo do Estado de São Paulo para o desenvolvimento de projetos para a introdução de frotas de veículos movidos a hidrogênio no futuro.

Ler o Anterior

MS inaugura primeira estação de recarga rápida de carros elétricos

Ler o Próximo

Vendas de VEs ultrapassaram a marca de 10 milhões em 2022

One Comment

  • maravilha muito bom uma grande noticia para nós brasileiro. vamos de encontro da tecnologia.

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular