Canal VE

25 de fevereiro de 2024

Carro elétrico usado vale a pena? Leia isso antes de comprar um

Homens apertam as mãos com um carro usado ao fundo

Carros elétricos usados podem ser uma boa opção. Foto: Envato/Elements.

A maior procura por carros elétricos novos no Brasil faz aumentar também a disponibilidade de carros elétricos seminovos no mercado. E se a maior concorrência gerada pela variedade de novos modelos provocou uma queda nos preços dos carros 0 km, o mercado de usados também abriu o leque de opções, e hoje é possível encontrar veículos movidos totalmente a bateria por menos de R$ 100 mil nas revendedoras. 

Os carros mais novos também estão caindo no mercado de segunda mão, e mais veículos premium de marcas favoritas estão ganhando espaço nas concessionárias de usados.

Mas comprar um carro elétrico usado vale a pena? A resposta pode ser sim, mas é preciso ter algumas informações importantes antes de fechar o negócio. 

Neste artigo, vamos explicar o passo a passo para acertar na compra de um veículo elétrico usado ou seminovo e aproveitar todos os benefícios da eletrificação.

Carro prata estacionado em um ponto de recarga para veículos elétricos
BYD Yuan Plus recebe recarga em eletroposto. Foto: Rubens Morelli/Canal VE

O que verificar?

Antes de mais nada, o consumidor precisa se atentar que a experiência de comprar um carro elétrico seminovo pode até ser semelhante à da compra de um carro a combustão seminovo, no que diz respeito ao processo de escolha e também ao da finalização do negócio, como a documentação, por exemplo. 

No entanto, um BEV tem características próprias e, por isso mesmo, precisa de um “atestado de saúde” antes de ser levado para a garagem. A manutenção de um carro elétrico é mais econômica e menos trabalhosa que a de um carro a combustão, mas é preciso ter a garantia de que essas manutenções preventivas foram realizadas com sucesso pelo antigo proprietário. 

A boa condição do conjunto de baterias e dos cabos, além dos desgastes dos pneus, da suspensão e dos freios, entre outros itens, são fundamentais para que o motorista não se arrependa dias depois. Confira a seguir a lista do que verificar em um elétrico seminovo.

Painel do carro informa motorista sobre autonomia, status da bateria, consumo e modo de direção, entre outras informações
Painel do BYD Yuan Plus indica 480 km de autonomia com 100% da bateria recarregada. Foto: Rubens Morelli/Canal VE.

Saúde da bateria e dos cabos

Um dos itens mais importantes na hora de verificar a conservação de um carro elétrico seminovo é o estado da bateria e o seu real alcance com o passar do tempo. A bateria de um carro elétrico tende a perder cerca de 2% da capacidade por ano, por isso, é importante verificar a autonomia no painel e compará-la com o valor declarado pelo fabricante.

Ao fazer as contas, certifique-se de que o vendedor carregou totalmente a bateria do carro para obter a melhor impressão sobre a saúde da bateria. Se possível, utilize o carro por um determinado percurso para conferir o consumo da energia.

Também é importante verificar a situação das portas de carregamento e o cabo de alimentação que pode ser oferecido junto com o carro. Qualquer sinal de desgaste pode representar perigo de choque elétrico. 

Se o motorista estiver ingressando no mundo dos elétricos, é importante aprender como carregar um VE de forma segura, e experimentar fazer uma recarga para verificar se existe algum tipo de problema antes de efetuar a compra em definitivo.

Imagem mostra objetos dentro de porta-malas de carro elétrico, incluindo um carregador portátil
Confira o estado dos cabos oferecidos junto com o carro. Foto: Divulgação/Chevrolet.

Freios

Por falar em bateria, outro item indispensável para verificação em um carro elétrico é o sistema de freios. Não apenas pela segurança do motorista e dos ocupantes, mas para a regeneração da energia nas frenagens. Os carros elétricos possuem o Kers (Kinetic Energy Recovery System, ou Sistema de Recuperação de Energia Cinética, em português), que, como o nome diz, consegue recuperar parte da energia cinética gerada durante uma frenagem e armazená-la para uso posterior.

Com o Kers, os freios de fricção não precisam trabalhar tanto quanto num carro a combustão, por exemplo. Assim, se os freios estiverem gastos, furados ou com riscos, por exemplo, pode ser um indício de que o antigo dono não fez um bom uso do carro. Vale destacar, porém, que devido à falta de uso mais constante, os freios de fricção tendem a corroer com o tempo. Por isso, a manutenção preventiva em cada roda é indicada.

Detalhe do disco de freio de um carro
Sistema Kers é capaz de recuperar parte da energia das frenagens. Foto: Reprodução.

Pneus

Ao verificar os pneus, certifique-se que o modelo utilizado é próprio para veículos elétricos. Os modelos mais novos já são equipados com pneus com a classificação correta, mas, dependendo da quilometragem do carro, os pneus podem ter sido trocados — e uma opção mais econômica do antigo proprietário pode representar dor de cabeça no futuro.

Os pneus próprios para veículos elétricos têm uma composição mais robusta, que reduz a resistência ao rolamento e aumenta a autonomia. Além disso, os pneus têm menos desgaste em relação ao peso do carro elétrico, maior que o dos carros a combustão por causa do conjunto de baterias.

Imagem mostra detalhe do pneu frontal direito em carro branco
Pneu ideal para carros elétricos é decisivo para a maior eficiência. Foto: Divulgação/Continental

Suspensão

Ao realizar o test-drive com o carro, fique atento a quaisquer batidas ou ruídos da suspensão. Sons incomuns provenientes das molas e dos amortecedores são sinais de alerta. Lembre-se de que os carros elétricos são mais pesados, por isso, os componentes da suspensão geralmente trabalham mais do que um equivalente com motor a combustão. Se possível, leia atentamente os relatórios das manutenções preventivas.

 

Motor elétrico

O conjunto do motor elétrico é consideravelmente menor que o de um motor a combustão. Isso acontece porque os motores elétricos têm menos componentes que os térmicos. Itens como correias, velas, filtro de combustível, filtro de óleo do motor, caixa de câmbio e escapamento, entre outros, simplesmente não fazem parte do conjunto dos VEs. 

Mas o motor elétrico exige cuidados especiais para evitar acidentes, mesmo com o carro desligado. Por isso, o ideal é levar o veículo a uma concessionária da própria marca ou oficinas especializadas em motores elétricos para realizar uma revisão, em especial dos cabos e conexões do motor. 

Manutenção de veículos elétricos na Renault
Manutenção é um ponto de destaque para os veículos eletrificados, já que um motor de veículo elétrico tem menos peças e não exige troca de óleo. Foto: Divulgação/Renault

Alta quilometragem

Não se engane pela alta quilometragem de um carro elétrico. Ele pode percorrer longas distâncias e ainda assim permanecer em excelentes condições para o próximo proprietário. Há exemplos de veículos com mais de 500 mil km rodados sem perda substancial da eficiência. Por isso, é sempre importante ter em mãos os relatórios das manutenções preventivas, que garantem uma vida útil maior ao veículo. Vale lembrar que os carros elétricos costumam ter uma garantia para o carro e outra para a bateria. 

 

Luzes do carro

Muitos carros elétricos possuem faróis de led nas áreas externas. Verifique vestígios de entrada de água, como rachaduras ou condensação após o farol ser desligado. 

Confira também as luzes do painel. Se houver qualquer sinal de alerta ligado, pode ser um presságio para não efetuar a compra.

 

Vantagens e desvantagens de um carro elétrico usado

Como todo carro usado ou seminovo, o veículo pode apresentar problemas ou vícios pela falta de manutenção adequada pelo antigo proprietário. No entanto, pode ser uma excelente opção para aquele usuário que quer conhecer a eletrificação, com um preço mais acessível do que o de um novo, muitas vezes similar ao de um carro a combustão, mas com mais tecnologia embarcada, e com muitos anos de uso pela frente, sem perder a eficiência.

Ler o Anterior

BYD planeja enviar 100 mil VEs para a América Latina em 2024

Ler o Próximo

Nissan quer bateria mais barata para os mercados emergentes

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular