Canal VE

18 de maio de 2024

Tesla tem demissão em massa após queda nas vendas em 2024

Linha de produção da Tesla

De acordo com Musk, corte de funcionários faz parte do plano de reestruturação da Tesla no mundo. Foto: Divulgação/Tesla

A Tesla, montadora americana, vai demitir cerca de 10% do seu quadro de funcionários em escala global. O corte vem logo após os resultados do primeiro trimestre de 2024, no qual a Tesla registrou a primeira queda trimestral em quatro anos. As informações foram obtidas pela Bloomberg, que conseguiu acesso a um e-mail interno enviado por Elon Musk, CEO da empresa, aos funcionários.

Segundo a Bloomberg, cerca de 14 mil funcionários serão afetados com o corte. O que teria motivado as demissões seria a duplicação de atividades e a redução de custos. De acordo com a agência de notícias Reuters, alguns empregados já receberam notificações formais da Tesla.

Em seu comunicado, Musk afirmou que a empresa vai passar por uma nova fase de crescimento e, por isso, será necessário fazer reestruturação nas áreas da empresa. Apesar disso, o CEO da Tesla não informou quais setores passarão por essa reestruturação.

“Como parte desse esforço, fizemos uma análise completa da organização e tomamos a difícil decisão de reduzir nosso quadro de funcionários em mais de 10% em todo o mundo. Não há nada que eu odeie mais, mas isso precisa ser feito. Isso nos permitirá ser enxutos, inovadores e ávidos pelo próximo ciclo da fase de crescimento”, informou Musk no comunicado.

Linha de montagem do Cybertruck
Um dos pontos de queda da Tesla foram os diversos problemas no lançamento do Cybertruck. Foto: Divulgação/Tesla

Sombra da BYD e mercado em queda

Com o crescimento de outras montadoras no mercado mundial de veículos elétricos, a Tesla, antes líder absoluta, viu a BYD encostar e até ultrapassar a montadora americana em número de vendas, como aconteceu no fim de 2023. Isso, combinado com alguns problemas da Tesla no lançamento do Cybertruck, levou a Tesla a acelerar seus planos com novos veículos e produção mais acelerada.

No último balanço de vendas, divulgado no começo de abril, a Tesla viu a venda de seus modelos de carros elétricos cair cerca de 8,5% em comparação com o mesmo período do ano passado. Em relação ao último trimestre, a queda foi de aproximadamente 20% nas vendas.

Além da BYD, a Tesla também enfrenta a concorrência de montadoras gigantes em mercado que a marca era consolidada, como na Europa. Isso se deve ao fato de BMW e Volkswagen voltarem seus investimentos para os veículos eletrificados. No caso da BMW, em breve, a montadora produzirá apenas modelos com motores elétricos. 

Onde sempre foi o principal mercado para a Tesla, nos Estados Unidos, há uma “desaceleração” nas vendas de veículos elétricos. Todos esses novos fatores, causaram essa queda nas vendas da empresa de Elon Musk, culminando na demissão e reestruturação da montadora em escala global.

Ler o Anterior

Criciúma capacita os servidores públicos para utilização do e-JS1

Ler o Próximo

BMW Group vende 1 milhão de carros elétricos no mundo todo

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular