Canal VE

25 de fevereiro de 2024

Empresa de vigilância adota 22 motos elétricas para ronda no DF

Empresa adota motos elétricas para ronda urbana e de eventos

Em parceria com a Origem, Brasfort adotou 22 motos elétricas para sua frota. Foto: Divulgação/Brasfort

A Brasfort, empresa do ramo de vigilância, eletrificou sua frota de motocicletas com os modelos da Origem. Com operação no Distrito Federal, a empresa já trabalha com 22 motos elétricas para ronda urbana e também para a segurança de eventos.

A iniciativa da Brasfort visa tornar a empresa mais sustentável e atingir os planos ESG da companhia.

“A utilização de energia 100% limpa e renovável para a troca das baterias não apenas contribui para a redução das mudanças climáticas, mas também reflete nosso compromisso com a comunidade e a economia local. Tanto a sustentabilidade como o crescimento responsável da nossa empresa são impulsionados”, afirma Gustavo Negreiros, executivo de inovação tecnológica da Brasfort. 

Além da sustentabilidade, outro ponto importante para a adoção de frotas elétricas é o lado econômico. Neste caso, a parceria entre a Brasfort e a Origem é por meio de um serviço por assinatura oferecido pela montadora

Segundo a própria marca de motocicletas brasileiras, os planos são a partir de R$ 949 por mês e contam com a troca de baterias ilimitadas (nos pontos montados pela empresa), além de todos os custos de manutenção inclusos. 

Empresa adota motos elétricas para ronda urbana e de eventos
Com autonomia de até 70 km, a Origem X tem potência de 3 kW e velocidade máxima de 60 km/h. Foto: Divulgação/Brasfort

Sobre a Origem e o modelo oferecido

Em dezembro de 2021, em uma rodada de investimentos, a Origem captou R$ 100 milhões para montar sua fábrica em Manaus. Com mais de 4.000 metros quadrados de área fabril, a planta, localizada na Zona Franca de Manaus, pode chegar a produção de até 100 mil unidades por ano.

Sobre o modelo disponível, o Origem X, conta com potência de 3 kW (aproximadamente 4,07 cv), o que lhe garante uma velocidade máxima de 60 km/h.

Com relação à bateria da motocicleta, a autonomia pode variar entre 50 e 70 km, dependendo dos trajetos percorridos, velocidade e peso carregado. O que chama atenção da Origem X é o seu sistema de troca de bateria, que em qualquer plano é ofertado de maneira ilimitada, nos pontos oferecidos pela montadora.

Atualmente, segundo o mapa do site da empresa, a Origem conta com 87 estações de troca de baterias, localizadas exclusivamente no Distrito Federal.

A troca da bateria é muito simples: o piloto vai até uma estação, retira a bateria da moto e insere na estação. Em seguida, retira uma bateria 100% carregada e coloca de volta na moto.

Ler o Anterior

Dúvidas sobre carros elétricos e híbridos? Aluguel pode ser opção

Ler o Próximo

IQA lança curso de capacitação voltado para a mobilidade elétrica

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular