Canal VE

17 de maio de 2024

Biden aumentará taxas nos EUA para veículos elétricos da China

Pátio de fábrica da BYD

Com a nova tributação, a taxa de importação para veículos elétricos chineses saltará de 25% para 100% sob o valor final do veículo. Foto: Divulgação/BYD

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou o aumento nas tarifas sobre carros elétricos no país da América do Norte. Segundo a Casa Branca, a taxa de importação de veículos elétricos chineses sairá de 25% para 100% do valor total do produto ao final do ano. Além dos automóveis, semicondutores, baterias, células fotovoltaicas e minerais essenciais também fazem parte desse reajuste (com taxas diferentes) para produtos chineses.

Para as novas taxas, a justificativa é a mesma: fortalecer a produção e a indústria norte-americana e pressionar a China a “eliminar suas práticas comerciais desleais em matéria de transferência de tecnologia, propriedade intelectual e inovação”, explicou a Casa Branca em um comunicado.

Entre as principais críticas que EUA e a Europa acusam a China de praticar estão os subsídios que o governo do país asiático oferece a suas empresas para o desenvolvimento e a produção de veículos elétricos. Segundo Biden, isso é uma forma de “trapaça” frente às concorrências do mercado automotivo mundial. 

“Não vamos permitir que a China inunde nosso mercado, impedindo a concorrência leal dos fabricantes americanos de automóveis”, disse Biden.

Além dos veículos elétricos e de componentes relacionados a eles, Biden também anunciou mudança nas tarifas de painéis fotovoltaicos, que passam de 25% para 50% até 2024, guindastes de barco a terra, de 0% para 25% até 2024 e até de luvas médicas e cirúrgicas de borracha que vão de 7,5% para 25% até 2026.

“Beco sem saída”

Com as eleições dos Estados Unidos se aproximando, ambos os pré-candidatos mais cotados a assumir a presidência, Joe Biden e Donald Trump, possuem propostas que dificultariam ainda mais o avanço dos veículos elétricos produzidos na China em território norte-americano.

O atual presidente vai manter e ampliar as tarifas do anterior, que já atingiam o equivalente a mais de US$ 300 bilhões (mais de R$ 1,5 trilhão) em mercadorias. Segundo o comunicado da Casa Branca, apenas com as tarifas anunciadas nesta semana, afetarão importações no valor estimado de US$ 18 bilhões (aproximadamente R$ 92 bilhões).

Já o pré-candidato à presidência pelo Partido Republicano, Donald Trump, já anunciou que cobrará uma taxa de importação de 100% para veículos chineses que são produzidos no México.

“Aquelas grandes fábricas de carros monstruosos que você está construindo no México agora e você acha que vai conseguir isso (não contratar americanos) e você vai vender o carro para nós, não. Vamos colocar uma tarifa de 100% em cada carro que passar pelo estacionamento”, prometeu Donald Trump em discurso realizado em Dayton, Ohio, em março de 2024, durante sua campanha de pré-candidatura à presidência.

Ler o Anterior

Shark, a primeira picape da BYD, é lançada oficialmente no México

Ler o Próximo

Com restrições nos EUA, carros chineses avançam no Brasil

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular