Canal VE

18 de maio de 2024

Com restrições nos EUA, carros chineses avançam no Brasil

carros elétricos aguardam desembarque em porto

Desembarque de carros elétricos no Porto de Suape, em Pernambuco. Foto: Divulgação/Suape.

Os fabricantes chineses de veículos elétricos estão em ritmo acelerado para enviar a produção para Brasil e México, enquanto os EUA anunciam aumento de taxas de importações e outras restrições comerciais. 

De acordo com o portal de notícias Nikkei Asia, o transporte de veículos elétricos e híbridos para a América Latina foi intensificado em março de 2024 e deverá se manter nesse ritmo até junho. A publicação ouviu fontes da indústria marítima da região, que confirmaram os planos dos fabricantes chineses de escoamento dos VEs para outros mercados.

“Os preços do transporte de contêineres para a rota China-Brasil aumentaram entre quatro e seis vezes desde o final de março de 2024. O contêiner custava cerca de US$ 1.500 (aproximadamente R$ 7,6 mil) no início deste ano e agora está bem acima de US$ 6.000 (R$ 30 mil)”, disse a fonte, citando a alta demanda das exportações.

 

Retomada de impostos de importação

Vale ressaltar que o Brasil retomou os impostos de importação para veículos elétricos em janeiro de 2024, após um período de isenção. Atualmente, os veículos 100% elétricos têm uma taxa de 10%, mas a alíquota sofrerá novo aumento em julho, quando passará a ser de 18%. Depois, continuará subindo gradativamente até atingir 35% em julho de 2026.

Algumas montadoras, como BYD e GWM, obtiveram créditos financeiros e mantiveram os preços praticados em 2023 para alguns modelos, sem o incremento das taxas de importação. Os chineses querem aproveitar o boom do mercado brasileiro, e prometem manter estratégias agressivas para conquistar fatias ainda maiores dos consumidores, mas o repasse dos impostos para os consumidores no segundo semestre, após a nova taxa do imposto de importação entrar em vigor, não está descartado.

As vendas de veículos elétricos e híbridos no Brasil alcançaram a marca de 51,2 mil unidades emplacadas no primeiro quadrimestre de 2024, um aumento de 162% sobre o mesmo período de 2023 (19,5 mil unidades). BYD e GWM lideram as vendas no segmento de veículos eletrificados, seguidas pela Toyota, que mantém uma estratégia de eletrificação no Brasil baseada em veículos híbridos flex.

 

México sob pressão

Em meio à crise entre EUA e China por veículos elétricos, o México sofre forte pressão da Casa Branca para manter distância das montadoras chinesas. 

Na terça-feira, o presidente norte-americano Joe Biden disse considerar penalidades adicionais se fabricantes chineses de veículos elétricos tentassem transferir a produção para o México para evitar as tarifas recém-anunciadas dos EUA. No mesmo dia, a BYD fez o lançamento global da picape Shark na Cidade do México, o primeiro lançamento de um veículo da marca fora da China.

Segundo informações da agência de notícias Reuters, o governo mexicano não aumentou as tarifas sobre os veículos eléctricos chineses, mas deixou de fornecer incentivos como terrenos públicos de baixo custo ou reduções de impostos para a produção de veículos elétricos no país. 

Ler o Anterior

Biden aumentará taxas nos EUA para veículos elétricos da China

Ler o Próximo

Xiaomi duplica produção de SU7 para atender alta demanda

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular