Canal VE

18 de maio de 2024

Universidades paulistas testam projetos de mobilidade elétrica

Ônibus elétrico estacionado em frente à placa da Unesp

Universidades do estado de São Paulo firmam acordos visando estudar e desenvolver os veículos elétricos. Foto: Divulgação/Scania

Universidades do Estado de São Paulo estão realizando diversos testes visando o estudo e desenvolvimento de ônibus eletrificados, sejam 100% elétricos a bateria, como os da Unesp e Unicamp, ou movidos a hidrogênio, como no caso que será testado na USP.

O objetivo das três principais universidades estaduais é o mesmo: colocar à prova, em locais já propícios à pesquisa, os benefícios da mobilidade urbana elétrica, além de identificar possíveis problemas que precisam de melhorias. 

Os estudos também vão de encontro à meta do governo estadual, que se comprometeu a auxiliar o desenvolvimento de tecnologias de descarbonização das cadeias de transportes, por meio das universidades, e também com a iniciativa privada, como nos casos da Toyota e da GWM.

Se USP e Unesp lançaram projetos de eletrificação de ônibus em abril de 2023 (leia abaixo), a Unicamp foi pioneira no estado a utilizar ônibus elétricos no campus de Campinas, em 2020. 

O veículo 100% elétrico que integra a frota da Linha Circular Interno (sistema de transporte interno gratuito), destinado para todas as pessoas que circulam no campus. Integra o Projeto Campus Sustentável e conta com um eletroposto sustentável, contendo geração fotovoltaica própria e sistema de armazenamento de energia.

Ônibus elétrico carregando em posto de recarga na Unicamp
Unicamp foi pioneira no estado a utilizar ônibus elétricos no campus de Campinas, em 2020. Foto: Divulgação/Unicamp

USP terá ônibus movidos a hidrogênio

A Escola Politécnica da USP receberá três ônibus movidos a hidrogênio. Isso por conta de um projeto P&D que reúne grandes empresas do ramo automobilístico, mobilidade, energia e combustíveis

Além de transportar seus alunos dentro do campus, a ideia principal é que forneça dados para o melhor entendimento da célula de hidrogênio, inclusive na aplicação veicular. 

Segundo o Jornal da USP, o combustível será obtido a partir do etanol, em parceria com a multinacional brasileira Marcopolo.

Além dos três ônibus, o projeto ainda recebeu da Toyota um Mirai, primeiro carro de série movido à célula de combustível (Fuel Cell Eletric Vehicle) para testes sobre a performance do veículo movido a hidrogênio. O Toyota Mirai ainda não é comercializado no Brasil.

Com um investimento de R$ 50 milhões, a Shell Brasil, outra empresa parceira, pretende saber mais sobre o processo de transformação do etanol em hidrogênio renovável. O estudo calculará, ainda, a emissão de carbono na atmosfera, desde o cultivo da cana até a propulsão dos veículos, no conceito “Field-to-Wheel, ou “do campo à roda”.

Cabe ressaltar que o projeto ainda depende da construção de instalações, com início previsto para o primeiro semestre de 2024. 

Arte demonstrativa do processo de desenvolvimento do etanol até ser transformado em hidrogênio
O combustível será produzido a partir da transformação do etanol em hidrogênio. Arte: Reprodução/Jornal da USP

Unesp e Scania

A Universidade Estadual Paulista firmou um acordo com a Scania, empresa sueca fabricante de veículos pesados. Essa parceria contempla um ônibus 100% elétrico que será utilizado no campus de Ilha Solteira (SP), região noroeste do estado. O objetivo desse projeto é fazer experimentos e analisar as aplicações do veículo.

A escolha pelo campus de Ilha Solteira é estratégica para os testes, considerando o clima quente da região em boa parte do ano. “Como aqui é uma região muito quente por longos períodos do ano, poderemos avaliar a aplicação desse ônibus para rodar em regiões com alta temperatura, tanto em ambiente urbano quanto em rodovia, utilizando ‘lastro’ para reproduzir uma lotação, por exemplo. Nós vamos estabelecer uma rota que possa simular e submeter o veículo ao estresse térmico”, conta o professor Leandro Oliveira Salviano, um dos responsáveis pelo projeto.

Ônibus vermelho 100% elétrico, que será utilizado na Unesp
O ônibus será utilizado dentro do campus, por um período de 12 meses, para estudo e locomoção dos alunos. Foto: Divulgação/Scania

O ônibus será utilizado dentro do campus, por um período de 12 meses, para locomoção dos alunos. Para Marco Garcia, consultor de Pesquisa e Desenvolvimento da Scania Latin America, é importante haver essa troca com as pessoas que frequentam a universidade.

“Nós investimos constantemente no desenvolvimento de competências dentro da Scania, mas entendemos a necessidade de irmos além da nossa fábrica e decidimos levar nosso ônibus BEV até os acadêmicos, pesquisadores e estudantes de engenharia”, disse Garcia.

Ler o Anterior

Em parceria com governo de SP, GWM investirá em hidrogênio

Ler o Próximo

Siemens lança dois carregadores para veículos elétricos no Brasil

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular