Canal VE

20 de julho de 2024

Plano da CPFL evita emissão de mais de 100 toneladas de CO2

Renault Zoe preto, de um motorista de aplicativo

Com 36 carros disponibilizados para motoristas de aplicativo, foi evitado a emissão de 101 toneladas de CO2. Foto: Matheus Meireles/CPFL

O plano de mobilidade elétrica Net Zero, da CPFL, evitou a emissão de 101 toneladas de CO2 em oito meses de vigência, com a utilização de carros elétricos por motoristas parceiros. Foi o que divulgou a empresa de geração, transmissão, distribuição e comercialização de energia elétrica.

Ao todo, foram disponibilizados os aluguéis de 36 Renault Zoe, com desconto, para motoristas de aplicativo, que ultrapassaram a marca de 1 milhão de quilômetros rodados, ao longo desses oito meses.

Composta por várias frentes, a companhia de energia elétrica já vem investindo na mobilidade elétrica, com frotas e infraestrutura de recarga. Até o final de 2024, a CPFL terá investido cerca de R$ 45 milhões em cinco projetos já em andamento, desenvolvidos em parceria com universidades, institutos de pesquisa e iniciativa privada, por meio de Chamada Pública da ANEEL.

“Estamos empenhados em buscar e viabilizar soluções inovadoras de mitigação e adaptação para responder aos desafios cada vez mais intensos e frequentes das mudanças climáticas. Uma das alternativas em avaliação para a redução das nossas emissões de GEE (gases de efeito estufa) é a substituição de veículos da frota operacional por modelos 100% elétricos”, destaca Bruno Monte, diretor de Estratégia e Inovação da CPFL Energia.

Entre outras iniciativas já previstas, a meta da empresa é ter 15% da frota técnica operacional pesada elétrica, entre as quatro distribuidoras do grupo até 2030.

Carro da CPFL sendo recarregado
Além das iniciativas com motoristas de aplicativo, a empresa também estuda infraestrutura de recarga e aplicativo para a utilização desses pontos. Foto: Divulgação/CPFL

Outras iniciativas

Além dessa aplicação com motoristas de aplicativo, a empresa mantém vários estudos que visam entender as melhores aplicações e soluções em negócios que o grupo atua. Os avanços e estudos vão de modelos de eletropostos e aplicativos para pagamento da recarga a ônibus elétrico.

Uma das aplicações testadas é o eletroposto sustentável, que foi desenvolvido a partir de estrutura que utiliza energia elétrica gerada por painéis fotovoltaicos. Esse modelo de estação é capaz de abastecer tanto veículos elétricos como híbridos. 

Os testes dessa nova proposta ajudarão a empresa e seus parceiros a entender na prática possíveis modelos de negócios, além de aprimorar definições regulatórias e legais que tornarão o uso viável à sociedade.  

Outra ação em teste é o aplicativo para a utilização do serviço de recarga da companhia. A plataforma viabiliza a operação do eletroposto, além do pagamento pela recarga. Seguindo o conceito de laboratório vivo (living lab), o projeto também conta com a instalação de eletropostos e operação de veículos elétricos para gerar dados e validar a plataforma em aplicação real. O app já foi testado por mais de 2 mil pessoas.

Ler o Anterior

Honda planeja produzir apenas motos elétricas a partir de 2040

Ler o Próximo

Chevrolet desembarca o primeiro lote do SUV Blazer EV no Brasil

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular