Canal VE

25 de fevereiro de 2024

BYD e Huaihai assinam acordo bilionário por baterias de sódio

BYD Seagull é um carro elétrico compacto de entrada da marca chinesa

BYD Seagull pode ser equipado com bateria de íons de sódio no futuro. Foto: Divulgação/BYD.

A BYD assinou um contrato de 10 bilhões de yuans (R$ 6,91 bilhões) com a fabricante chinesa de triciclos elétricos Huaihai Holding Group para construir a maior fábrica de baterias de íons de sódio do mundo, em Xuzhou, na China. 

O acordo foi firmado por meio da FinDreams, subsidiária de baterias da BYD, segundo informou o portal CNEVPost. A nova fábrica terá capacidade de produção anual de 30 GWh.

A ideia da parceria é a união de esforços das duas empresas para o fornecimento de baterias mais baratas que as atuais, de lítio, proporcionando maior redução de custo para os veículos elétricos. 

A Huaihai é especialista na fabricação de veículos para a micromobilidade, como triciclos, motocicletas, scooters e bikes elétricas, e tem interesse em baterias menores e mais eficientes. No mesmo sentido, a BYD quer aplicar a nova composição química da bateria em carros de entrada, mais acessíveis, como o compacto Seagull, esperado para desembarcar no Brasil no início de 2024.

Apesar de muito se falar do Seagull equipado com a bateria de sódio, isso ainda não aconteceu. O carro, que é sucesso de vendas na China, tem bateria LFP (lítio-ferro-fosfato), mas pode receber a atualização num futuro próximo, a depender do sucesso da nova parceria. 

Vista de frente do BYD Seagull, que tem um design que remete à gaivota
BYD Seagull deve chegar ao Brasil no início de 2024. Foto: Divulgação/BYD.

 

Benefícios e desvantagens

As baterias de íons de sódio apresentam benefícios principalmente em termos de custo, uma vez que o sódio, encontrado em abundância na natureza e, portanto, muito mais barato, substitui o lítio, que tem visto flutuações de preço consideráveis ​​recentemente. A desvantagem é que as baterias de íons de sódio têm uma densidade energética mais baixa em relação às baterias LFP. 

No entanto, a bateria de sódio tem capacidade para suportar taxas de carregamento mais altas, com maior potência, tornando a recarga mais rápida, além de ter uma vida útil mais longa que as atuais.

 

Evolução das baterias

Conforme a mobilidade elétrica avança em muitos mercados no mundo, a busca por novas tecnologias, mais eficientes e de menor custo, também aumenta. 

Outras empresas também trabalham na produção das baterias de íons de sódio, como a CATL, maior fabricante de baterias para carros elétricos do mundo, que pode alimentar o iCar, da Chery, com essas baterias.

Outra empresa chinesa também anunciou a construção de uma grande fábrica de baterias de íons de sódio nesta semana. A Zoolnasm, startup fundada em 2021, iniciou as obras de uma fábrica em Guangde, na província de Anhui, projetada para uma capacidade anual de 20 GWh para células de bateria de íons de sódio e mais 10 GWh para sistemas de bateria correspondentes.

Já a sueca Northvolt também anunciou sua entrada no ramo de baterias de sódio. No entanto, ao contrário dos fabricantes chineses, o objetivo da empresa é usar a nova tecnologia em baterias estacionárias num primeiro momento.

Ler o Anterior

Hyundai terá fábrica exclusiva de carros elétricos na Coreia do Sul

Ler o Próximo

Até o papa Francisco se rende e adota carro elétrico no Vaticano

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular