Canal VE

18 de maio de 2024

BorgWarner expõe sistema de baterias de ônibus elétricos

Estande da BorgWarner no VE Latino-Americano

BorgWarner está presente no VE Latino-Americano com o sistema de baterias UHE, utilizado nos ônibus da Mercedes. Foto: Divulgação/BorgWarner

A BorgWarner, empresa americana fabricante de componentes para o setor automotivo, está presente no VE Latino-Americano e, um de seus produtos em exposição, é o sistema de baterias de ultra-alta energia (UHE), produzido em Piracicaba (SP) e utilizado no ônibus elétrico da Mercedes-Benz, o eO500U.

O componente pesa 500 kg e mede 1,80 m x 70 cm. “Esse modelo possui alta densidade energética, ou seja, tem uma grande capacidade de armazenamento de energia por quilograma. O componente será apresentado junto com os seus complementos: o BMS (Sistema de Gerenciamento da bateria), o Junction box (módulos de conexão entre as baterias), o DCCU (Unidade de recarga de corrente direta) e o EDCU (Unidade eletrônica de controle)”, conta Marcelo Rezende, diretor para sistemas de baterias da BorgWarner no Brasil.

Além do sistema de baterias dos ônibus elétricos da montadora alemã, a empresa também está expondo um motor gerador de energia. O motor HVH é voltado para veículos híbridos e elétricos. Com sua potência, o motor gera energia com uma eficiência energética de 95%.

Marcelo Rezende, diretor geral para sistemas e baterias da BorgWarner no Brasil
Marcelo Rezende, diretor geral para sistemas e baterias da BorgWarner no Brasil. Foto: Rubens Morelli/Canal VE

Eletrificação de ônibus e caminhões

Em entrevista ao Canal VE, Marcelo Rezende comentou sobre o futuro da eletrificação dos automóveis no Brasil e como a BorgWarner deve agir diante desse mercado em amplo crescimento.

“Nós acreditamos que o mercado, principalmente olhando para esse setor, de veículos comerciais, falando de ônibus e caminhões focados na última milha, a gente entende que são setores e segmentos que vão se eletrificar mais rápido. Muito pela aplicação, você conhece o trajeto, conhece a rota, você consegue definir o seu planejamento de recarga muito melhor”, comenta.

Marcelo ainda complementa abordando a diferença no TCO (Total Cost of Ownership) nos veículos de “última milha”, entre um motor a combustão e um motor elétrico.

“Normalmente operações de alto uso, o que reduz o custo total de operação, porque você tem um custo de aquisição mais alto para o veículo elétrico, mas, em contrapartida, você vai ter um custo de operação muito menor. E quando você tem um uso intenso, isso se traduz em um TCO (Total Cost of Ownership) muito menor”, finaliza. 

Focada nesses tipos de veículos e no mercado brasileiro, Rezende diz acreditar que a empresa possa ter um crescimento de até 200% nos próximos anos, quadruplicando o número de funcionários na fábrica de Piracicaba.

Ler o Anterior

Confira os destaques da abertura do VE Latino-Americano, em SP

Ler o Próximo

Siemens e Brasol testam modelo para a infraestrutura de recarga

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular