Canal VE

20 de julho de 2024

União Europeia aprova o fim das vendas de veículos a combustão

Fumaça densa sai de escapamento de carro movido a combustão

Carros movidos a combustão estão com os dias contados na Europa. Foto: Envato/Elements.

Agora é oficial. O Conselho da União Europeia (UE) decidiu que não haverá mais vendas de carros movidos a combustão nos países do bloco europeu a partir de 2035. O regulamento será agora publicado no Jornal Oficial da UE. 

As regras sobre a proibição de veículos de combustão interna (ICE) na UE entrarão em vigor no vigésimo dia após a publicação. A proibição de vendas é uma parte crucial do pacote climático Fit for 55 da Europa, e a maioria absoluta dos estados membros concordaram. As exceções foram Itália, Polônia, Romênia e Bulgária.

“Estou feliz em ver que a UE está cumprindo suas promessas com o pacote Fit for 55”, disse Romina Pourmokhtari, ministra sueca do Clima e Meio Ambiente. “As novas regras trarão oportunidades para tecnologias de ponta e criarão o impulso para a indústria investir em um futuro livre de fósseis.”

 

Resistência alemã

Apesar de o acordo estar costurado já há algum tempo, as últimas semanas antes da votação foram marcadas por uma resistência da Alemanha. 

O ministro dos Transportes alemão, Volker Wissing, tentou pressionar os demais membros votantes a favor de e-combustíveis, mas cedeu a um compromisso proposto pela Comissão da UE, que apresentará uma proposta de registro de veículos movidos exclusivamente a combustíveis neutros em CO2, após 2035, em conformidade com a legislação da UE.

Isso significa que os padrões da frota permanecerão intocados, deixando os e-combustíveis como uma exceção que não se aplicará a carros novos de passageiros e veículos comerciais leves — porque eles estão dentro dos limites da frota. As exceções serão resolvidas até o outono de 2024.

 

Regras de emissões

A votação confirmou as metas da Comissão quanto às emissões da frota estabelecidas em outubro de 2022. Assim, haverá reduções de emissão de CO2 de 55% para carros novos e 50% para vans novas de 2030 a 2034 em comparação com os níveis de 2021 e 100 % de reduções de emissão de CO2 para carros novos e vans a partir de 2035.

Os fabricantes podem continuar a comercializar veículos com motores de combustão interna nesse período de transição, mas devem pagar um prêmio de 95 euros por grama de CO2/km acima da meta por veículo registrado se sua meta de emissões for excedida em um determinado ano.

Ler o Anterior

Shineray lança SHE E-Jef, moto elétrica com visual mais robusto

Ler o Próximo

Enel X Way instala mais de 500 carregadores para VEs no Brasil

One Comment

  • A implantação e ainda antes a preparação para a data deve dar um impulso muito grande para o Veículo Elétrico, uma vez que o mundo todo exporta para a UE e todas as montadoras que quiserem continuar participando deste mercado, terão de fazer seus ajustes.
    Espero que por aqui sejam editadas regras e mercado, para que nós também possamos nos beneficiar e que isto não se converta em uma regra para exportação. É uma grande chance de tomar o tema em reuniões com a ANFAVEA, com o assunto ainda quentemos com o cuidado de frear as idéias protecionistas da ANFAVEA, que tem se mostrado bastante retrógradas, quando fala em mercado V.E.

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular