Canal VE

24 de abril de 2024

Extração de lítio em Minas Gerais está próxima de atingir recorde

Máquinas de mineração da Sigma Lithium no entardecer

Sigma Lithium lidera projeto de mineração de lítio no Vale do Jequitinhonha (MG). Foto: Divulgação/Sigma Lithium.

O Brasil tem se destacado como um dos países com maior potencial para a extração de lítio no mundo, juntamente com Austrália, China, Estados Unidos, Chile e Canadá. O mineral é uma das principais matérias-primas das baterias dos veículos elétricos. 

A produção nacional do lítio está concentrada no Vale do Jequitinhonha (MG), que ascendeu do 11º lugar para o terceiro em termos de faturamento entre 2021 e 2023, ficando atrás apenas do ferro e do ouro.

De acordo com dados do MME (Ministério de Minas e Energia), a extração de lítio em Minas Gerais atingiu um valor de comercialização de R$ 1,44 bilhão entre 1º de janeiro e 25 de julho de 2023.

Isso indica que a marca de R$ 1,45 bilhão alcançada em 2022 será em breve ultrapassada. Para efeito de comparação, o comércio do mineral registrou R$ 271,6 milhões em 2021, mostrando um crescimento de 436,16% entre 2021 e 2022.

 

Oportunidade para o Brasil

O lítio é um elemento essencial para a produção de baterias de íons de lítio, utilizadas nos carros elétricos e até mesmo em smartphones. Estima-se que 74% do lítio produzido no mundo seja destinado à fabricação de baterias, embora outras indústrias também consumam o metal, como os setores de cerâmica e vidro.

O Ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, enfatiza que a mineração de lítio na região do Vale do Jequitinhonha representa uma oportunidade única para inserir o Brasil como protagonista global na produção desse mineral crucial para a transição energética da mobilidade. Além disso, é uma chance de gerar empregos, renda e desenvolvimento social para a população local.

“O Brasil tem um solo fértil de oportunidades e o nosso Jequitinhonha tem mostrado isso, chamando a atenção do mundo inteiro com o lítio, principalmente o verde. Sabemos que os minerais críticos serão fundamentais para a transição energética, então temos que trabalhar em cima destes potenciais brasileiros conciliando políticas públicas que tragam retornos sociais importantes para a nossa sociedade e que garantam a sustentabilidade”, disse o ministro Alexandre Silveira.

Mineração de lítio no Vale do Jequitinhonha
Módulo de processamento com empilhamento a seco da planta greentech da Sigma Lithium. Foto: Divulgação/Sigma Lithium.

Indústria de valor

Com esse propósito, o MME está elaborando um programa multissetorial e específico para a região do Vale, que vai além da mineração. O objetivo é que a atividade mineradora seja um meio de desenvolvimento regional, com o Governo Federal fornecendo políticas públicas que englobem melhorias na infraestrutura (rodoviária e ferroviária), educação e capacitação profissional, bem como programas sociais para a população local.

Recentemente, o ministro Silveira se reuniu com a CEO da mineradora Sigma Lithium, Ana Cabral-Gardner. A Sigma enviou para a China a primeira carga de lítio verde produzido no Brasil no final de julho de 2023, a partir do Porto de Vitória, no Espírito Santo.

O lítio extraído no Vale do Jequitinhonha possui o selo triplo zero, ou seja, é livre de carbono, rejeitos e substâncias químicas nocivas. A carga foi enviada para a China, onde o lítio será transformado em baterias para uso global.

A primeira remessa continha 15 mil toneladas de lítio verde triplo zero, além de outras 15 mil toneladas de subprodutos ultrafinos de alta pureza. Até o final do ano, a estimativa é exportar cerca de 130 mil toneladas. A empresa afirma que a atividade na região gera mil empregos diretos e outros 13 mil indiretos.

Ler o Anterior

BMW iX M60 já está à venda no Brasil com luxo e muita potência

Ler o Próximo

Empresa usa tuk tuk elétrico para coleta seletiva em Minas Gerais

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular