Canal VE

24 de abril de 2024

Curitiba prevê eletrificação em novo edital do transporte público

Ônibus elétrico na cor predominantemente verde é visto em rua de Curitiba

Curitiba fortalecerá presença de ônibus elétricos no transporte coletivo nos próximos anos. Foto: Divulgação/Prefeitura de Curitiba.

A prefeitura de Curitiba assinou um contrato com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social (BNDES) para criar um novo modelo de concessão do transporte coletivo da cidade, que deve entrar em vigor em 2026, privilegiando a eletrificação.

O novo modelo vai priorizar a redução de emissão de gases do efeito estufa por meio da mudança da matriz energética. A meta é que 33% da frota de ônibus de Curitiba seja formada por veículos elétricos de zero emissão até 2030, e 100% até 2050

O contrato, assinado pela Urbanização de Curitiba (Urbs) representando a prefeitura, e o BNDES, tem valor de R$ 10 milhões e prazo de 36 meses. A parceria envolve desde diagnósticos e estudos preliminares até o preparo para a licitação.

O projeto prevê a modernização do sistema, a reestruturação dos serviços de mobilidade da Rede Integrada de Transporte, que contempla outras 19 cidades da Região Metropolitana de Curitiba, e a descarbonização gradual da frota.

Prefeito Rafael Greca levanta documento assinado por ele ao lado de autoridades
Prefeito de Curitiba, Rafael Greca, assina contrato com BNDES para formulação de novo edital do transporte. Foto: Divulgação/Prefeitura de Curitiba.

 

Experiência positiva

De acordo com Ogeny Pedro Maia Neto, presidente da Urbs, o projeto de um novo modelo de transporte coletivo já vem sendo desenvolvido nos últimos anos na cidade, com diversas pesquisas e ações em relação à descarbonização da frota.

“Realizamos testes com ônibus elétricos, workshops sobre o futuro da mobilidade com especialistas, e todas essas experiências que estamos acumulando desde 2018 vão servir de embasamento técnico para fazer um novo edital e licitar o transporte coletivo em 2025”, afirmou Maia Neto.

A iniciativa se alinha com o Plano de Mobilidade Sustentável de Curitiba e busca reduzir o uso de veículos particulares, visando alcançar 85% de deslocamentos em transporte coletivo e mobilidade ativa até 2050. Atualmente, o transporte público representa cerca de 25% das viagens na cidade, de acordo com o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC). 

Atualmente, o sistema público de transporte de Curitiba atende 755 mil passageiros por dia em 244 linhas e conta com uma frota de mais de 1.100 veículos. O desafio do novo modelo é atender a população crescente da capital paranaense e região metropolitana.

Ler o Anterior

Seres tem meta de vender 50 mil VEs na América Latina até 2026

Ler o Próximo

Mercedes-Benz EQE SUV chega ao Brasil com proposta versátil

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular