Canal VE

14 de junho de 2024

Brasil se torna o maior mercado do mundo para VEs chineses

GWM Ora 03 Skin estacionado

Brasil superou a Bélgica e se tornou o maior mercado de veículos eletrificados chinês no mundo. Foto: Divulgação/GWM

O Brasil se tornou o principal mercado de veículos eletrificados chineses do mundo. O país ultrapassou a Bélgica, até então o destino que mais recebia veículos elétricos e híbridos produzidos na China, segundo dados recentes do setor. 

De acordo com a Associação Chinesa de Carros de Passageiros (CPCA), o número de veículos chineses no Brasil aumentou em 13 vezes no período de um ano. No início de 2024, o Brasil ocupava a décima colocação neste mesmo ranking. Com mais de 40 mil veículos eletrificados importados da China no mês de abril, o país se colocou entre os principais mercados de VEs chineses.  

Esse resultado foi obtido após os inícios das investigações da União Europeia contra os subsídios fornecidos pelo governo chinês às empresas locais, o que fez recuar as exportações com destino à Europa. Em contrapartida, o retorno da tributação de imposto no mercado brasileiro de forma gradativa fez com que se acelerasse a vinda de mais veículos.

Segundo a CPCA, países como Espanha, França, Holanda, Bélgica e Noruega apresentaram uma redução significativa em suas exportações, enquanto a Rússia registrou um aumento de 23%, totalizando 268.779 veículos. México e Brasil surgem como destaques positivos. O país da América do Norte teve um crescimento de 27%, chegando a 148.705 unidades. Já o atual líder desse ranking, o Brasil, contabilizou um crescimento de 536%, alcançando 106.448 novos veículos importados da China.

BYD Dolphin Mini andando pelas ruas de São Paulo
Nos quatro primeiros meses de 2024 o Brasil contabilizou um crescimento de 536% em importação de VEs da China. Foto: Divulgação/BYD

E vem mais por aí

O navio da BYD atracou no dia 27 de maio, no Porto de Suape, em Pernambuco, e trouxe 5.459 veículos para abastecer o mercado nacional. Essa foi a segunda viagem do Explorer No.1 BYD, que levou 27 dias da China até o Brasil.

“O Brasil hoje é o maior mercado para a BYD fora da Ásia. Por isso, a construção da nossa fábrica em Camaçari está em ritmo acelerado. No fim deste ano, começaremos a montar os carros na Bahia, e, a partir do ano que vem, a BYD vai produzir os carros mais eficientes e tecnológicos em solo nacional. O país, que tem uma das matrizes energéticas mais limpas do mundo, tem todo o potencial para se tornar um exemplo de eletrificação da frota e o nosso crescimento nas vendas mostra que o brasileiro está cada dia mais preocupado com uma mobilidade verde e sustentável”, explica Alexandre Baldy, conselheiro especial da BYD.

Com seu navio próprio, a BYD pretende exportar até 400 mil carros elétricos durante todo o ano de 2024. Esse número representa um grande aumento, em comparação com o ano de 2023, quando a BYD exportou cerca de 240 mil veículos para o mundo.

O Explorer No.1 tem capacidade para transportar até 7 mil veículos, mede 199,9 metros de comprimento e possui a mais moderna tecnologia de navegação.

Navio da BYD atracado no Porto de Suape, em Pernambuco
Navio atracou no dia 27 de maio e trazendo mais de 5,4 mil veículos consigo. Foto: Divulgação/BYD/Bera.digital

Ler o Anterior

Kia EV3: novo SUV compacto com até 600 km de autonomia

Ler o Próximo

Nova plataforma de híbridos da BYD gera 2.100 km de alcance

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular