Canal VE

18 de maio de 2024

BNDES investirá R$ 40 milhões em projetos de descarbonização

Imagem mostra detalhes de motor de veículo elétrico.

Projetos de powertrains de baixa emissão, com foco em híbridos, podem ser contemplados por créditos do BNDES. Foto: Envato/Elements.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) tem um orçamento de R$ 40 milhões para acelerar projetos de descarbonização do setor automotivo em 2024. O objetivo é contemplar projetos de desenvolvimento industrial e tecnológico no setor, que tenham como objetivo a descarbonização da mobilidade e da logística.

Para isso, o BNDES já está recebendo, desde 12 de abril de 2024, projetos dessa natureza para avaliação. De acordo com a publicação do banco, a ação integra o programa BNDES Rota 2030, com orçamento total de R$ 200 milhões pelos próximos cinco anos.

O BNDES informa que, para 2024, estão disponíveis R$ 40 milhões em recursos não reembolsáveis, a serem investidos em projetos que contemplem, ao menos, um dos temas a seguir: baterias e powertrains (trens de força) de baixa emissão, com foco em híbridos (elétricos + biocombustíveis), incluindo seus componentes e insumos críticos e as soluções para infraestrutura de recarga; descarbonização dos processos produtivos de veículos, componentes, insumos críticos e materiais estratégicos (a exemplo de aço verde, alumínio e novas ligas especiais); e biocombustíveis e suas aplicações em veículos leves e pesados e em máquinas agrícolas (com destaque para as soluções de biometano, incluindo projetos-piloto de sua utilização).

 

Critérios de escolha

Os projetos a serem apresentados devem ser destinados a plataformas veiculares elegíveis, que são: máquinas agrícolas (biometano e outros biocombustíveis alternativos); pesados urbanos (elétricos e a GNV/biometano); leves (híbridos a etanol, elétricos e células de combustível); e pesados rodoviários (GNV/biometano, biodiesel e células de combustível).

As propostas de projetos poderão ser submetidas ao BNDES em qualquer momento do ano, por meio do ícone “Chamada Pública” disponível no Portal do Cliente, no site do BNDES. 

A avaliação dos projetos considerará, entre outros itens: desafios tecnológicos envolvidos; grau de ineditismo da tecnologia a ser desenvolvida; aplicação potencial da tecnologia em outros setores; cooperação na cadeia de fornecedores; e alinhamento com outras políticas públicas.

Segundo o banco, os projetos devem ser propostos por instituições de pesquisa, que podem contar com a parceria de empresas intervenientes, e devem ter valor mínimo de R$ 10 milhões por operação. Projetos com a participação de montadoras terão a obrigatoriedade de inclusão de pelo menos uma empresa da cadeia de fornecimento de componentes e insumos críticos.

 

Investimento na indústria automotiva

O presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, diz que a iniciativa faz parte de um projeto nacional para a qualificação de trabalhadores para a renovação da indústria automotiva brasileira.

“O BNDES Rota 2030 tem como finalidade ampliar a competitividade da indústria automobilística brasileira. Vamos estimular a inovação tecnológica, a capacitação da mão-de-obra e a geração de empregos qualificados”, afirmou.

“Vamos apoiar projetos de pesquisa, desenvolvimento, inovação, engenharia, estudos, testes, pilotos e certificações que, dentre outras ações, estimulem fontes de energia, produtos e processos que minimizem a emissão de CO2”, completou o diretor de Desenvolvimento Produtivo, Inovação e Comércio Exterior do BNDES, José Luís Gordon.

Ler o Anterior

China exporta tantos VEs que já vê falta de navios para transporte

Ler o Próximo

Fabricante chinesa Ankai lança novos ônibus elétricos no Brasil

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular