Canal VE

14 de junho de 2024

Acima do previsto, 2023 emplaca 94 mil veículos eletrificados

Carro elétrico sendo recarregado

ABVE divulgou os números de emplacamentos de veículos eletrificados em 2023, que ficou acima do esperado. Foto: Envato/Elements

A Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE) divulgou os números de vendas dos veículos eletrificados em dezembro, além do resultado de todo um ano de crescimento e desenvolvimento para o setor.

O ano de 2023 encerrou com 93.927 emplacamentos, o que representa um crescimento de 91% com relação ao ano de 2022, que atingiu a marca de 49.245. Esse resultado representa números acima do esperado para as vendas de veículos eletrificados.

Os modelos plug-in representaram 56% das vendas de eletrificados leves no ano, com 52.359 unidades, ultrapassando os híbridos convencionais HEV a gasolina e HEV flex (41.568), que até 2022 ainda dominavam esse segmento.

“Os números indicam principalmente uma sensível evolução desse mercado este ano, com os veículos plug-in chegando a dois terços das vendas em dezembro, confirmando a confiança e a preferência cada vez maior do consumidor pelas novas tecnologias”, afirma Ricardo Bastos, presidente da ABVE.

GWM Ora 03 Skin andando pela orla de uma praia
Junto com o BYD Dolphin, o Ora 03 foi um dos modelos que elevaram o número de emplacamentos em 2023. Foto: Divulgação/GWM

Mês histórico de dezembro

O último mês do ano encerrou com a surpreendente marca de 16.279 carros eletrificados emplacados, o que significa mais de 5,6 mil veículos vendidos com relação ao mês anterior, que foi de recorde. Com relação ao mesmo período de 2022, o número é 191% maior (5.587).

Em dezembro, os modelos plug-in atingiram o número de 70% das vendas totais de eletrificados (11.371, de um total de 16.279), puxados pelo excelente desempenho da BYD e GWM, que lançaram novos modelos com essas tecnologias.

Novo incentivo do governo

Apesar do retorno da carga tributária para veículos importados, o governo federal criou um novo programa para o setor, a Mobilidade Verde e Inovação (Mover), que prevê incentivos fiscais de R$ 19 bilhões entre 2024 e 2028.

O projeto, já assinado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi idealizado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) e visa expandir o investimento em eficiência energética, incluindo limites mínimos de reciclagem na fabricação de veículos e cobrar menos imposto de quem menos polui, criando o IPI Verde.

Esse novo programa, para Ricardo Bastos, pode “equilibrar” a balança após o retorno do imposto.

“O Mover vai permitir que as empresas preparem com mais clareza seus planos de investimento, tanto para veículos leves quanto para veículos pesados, como ônibus e caminhões, e também para infraestrutura de recarga elétrica”, comenta Ricardo Bastos.

Ler o Anterior

BYD supera Tesla na venda de carros elétricos pela primeira vez

Ler o Próximo

Empresa brasileira de logística desenvolve caminhão elétrico

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular