Canal VE

25 de fevereiro de 2024

PNME publica segunda edição de anuário da mobilidade elétrica

Veículos elétricos estacionados em frente a uma estação de recarga

Anuário da PNME debate os desafios da mobilidade elétrica no Brasil. Foto: Envato/Elements.

Em tempos de avanços na eletromobilidade no Brasil, a Plataforma Nacional de Mobilidade Elétrica (PNME) acaba de lançar o 2º Anuário Brasileiro da Mobilidade Elétrica, um estudo abrangente sobre os caminhos disponíveis ao país rumo à descarbonização e à eletrificação da frota. 

Com autoria de Edgar Barassa, Robson Ferreira da Cruz, Tatiana Bermúdez Rodríguez, André Fortes Chaves, Anna Carolina L. Navarro, Flávia L. Consoni e Tarik Marques do Prado Tanure, o documento discute o mix de tecnologias para a descarbonização e digitalização dos transportes no Brasil, oferecendo uma visão ampla sobre os cenários encontrados no Brasil e no mundo acerca da transição energética da mobilidade.

O anuário promove um debate abrangente sobre a eletrificação, considerada “parte de uma tendência internacional de transição energética e meio para que os países possam avançar no compromisso de descarbonização de suas matrizes energéticas”. Mas com o olhar brasileiro, e levando em consideração as possibilidades do país.

O documento trata da eletrificação total e também parcial, por meio da hibridização dos veículos, que tem se mostrado consistente, ainda mais com opções de biocombustíveis, com destaque para o etanol, tecnologia que o Brasil é referência internacional.

De acordo com o documento, o objetivo do 2º Anuário Brasileiro da Mobilidade Elétrica, elaborado por especialistas com experiência e vivência no setor, é “contribuir para o diálogo intersetorial da mobilidade elétrica a partir de bases científicas, fornecendo argumentos que sustentem uma visão articulada e possibilitem cumprir com os compromissos climáticos, reconhecendo as oportunidades e desafios do setor”.

O 2º Anuário Brasileiro da Mobilidade Elétrica está disponível aqui.

Crescimento da eletrificação no Brasil

A segunda edição do anuário foi publicada no início de dezembro de 2022, um ano que deve ficar marcado na história da mobilidade elétrica no Brasil, haja visto a tendência de crescimento da eletrificação dos veículos no país, que contribuiu para quebrar a barreira de 100 mil veículos eletrificados em circulação, como ressaltou Edgar Barassa, doutor em Política Científica e Tecnológica pela Unicamp e fundador da Barassa & Cruz Consulting, em live da PNME, transmitida em outubro de 2022.

“Há que se comemorar a consistência desse crescimento. Mesmo num cenário pandêmico, de arrefecimento de investimentos, de desafios da cadeia, de desarticulação entre oferta e demanda, a gente viu que o setor continuou crescendo. E algo muito virtuoso dessa trajetória da eletrificação nacional é essa pluralidade da tecnologias. Esse mix de tecnologias mostra que não seguimos apenas uma direção, mas várias ao mesmo tempo, considerando o tamanho e as diversas soluções que a gente tem no Brasil”, afirmou Barassa. 

Plataforma de conhecimento

A PNME agrega mais de 30 instituições que incluem órgãos governamentais, agências, indústria, academia e sociedade civil. Ela tem a missão de contribuir para a implementação de práticas para o desenvolvimento sustentável da mobilidade elétrica no Brasil. 

Contando com flexibilidade e constante fluxo de competências necessárias para responder a desafios dinâmicos do ponto de vista ambiental, social, econômico e tecnológico, os membros e parceiros mantêm a independência de agendas e interesses, ao mesmo tempo em que têm acesso a um vasto repertório de conhecimento. Assim, podem contribuir para o fomento do mercado, crescimento das atividades produtivas, proposição de políticas públicas e regulamentações, e criação de competências em pesquisa e desenvolvimento (P&D).

Ler o Anterior

Ford exibe a Maverick Hibryd, a primeira picape híbrida do Brasil

Ler o Próximo

Primeiro ônibus elétrico rodoviário fará estreia no ES

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular