Canal VE

20 de julho de 2024

Orca é a primeira moto aquática 100% elétrica a venda no Brasil

Homem pilotando seu jet ski elétrico Orca Performance

Com preço inicial de R$ 149 mil, o modelo já pode ser adquirido no Brasil. Foto: Divulgação/Taiga

Combinar água com eletricidade não é uma tarefa simples, mas a empresa canadense Taiga Motors desenvolveu uma moto aquática 100% elétrica, a Orca Performance. E o produto chegou ao Brasil em janeiro de 2024, com versões a partir de R$ 149 mil.

Segundo a fabricante, o jet ski possui uma potência de até 160 cv, uma bateria de 24 kW de capacidade, com autonomia de até duas horas de uso. O modelo possui velocidade máxima de 100 km/h — um jet ski tradicional normalmente pode atingir até 80 km/h

O Orca Performance já é vendido com carregador que pode ser conectado em qualquer tomada. Esse tipo de recarga demanda 3 horas e meia para uma carga completa. Para carregadores rápidos, a moto aquática pode ser recarregada em até 40 minutos.

O jet ski elétrico da Taiga pode ser adquirido no Brasil por meio da Ventura, concessionária especializada em veículos náuticos, que possui contrato de exclusividade para vendas de veículos da empresa canadense. As pré-vendas tiveram início em janeiro de 2024, e os primeiros modelos devem ser entregues já no mês de fevereiro.

Mulher pilotando seu jet ski elétrico Orca Performance
O Orca Performance é a primeira moto aquática 100% elétrica disponível no Brasil. Foto: Divulgação/Taiga

Como o Orca Performance combina água e energia elétrica

Quem pensa em comprar uma unidade do Orca Performance tem duas grandes dúvidas: o possível risco de choque elétrico e se o carregador é resistente à água. Mas, segundo a fabricante, não há motivos para preocupações.

Para a primeira questão, o modelo possui um trem de força e sistemas elétricos isolados da água ou elementos externos, além de diversos protocolos de segurança e sistemas de monitoramento para garantir uma operação segura. 

Mesmo se houver contato da água com elementos internos, eles estão adequadamente selados e não há risco para o usuário. Em caso de impacto violento que perfure o casco, a bateria selada possui um mecanismo de segurança para evitar corrente ativa.

Com relação à recarga, se o cabo de carregamento cair na água, não há risco de choque elétrico. No entanto, é necessário secar o equipamento antes que o veículo aceite o conector de carga e inicie uma sessão de carregamento.

Para o consumidor americano, a Taiga está trabalhando em sua própria rede de carregadores rápidos, que pretende implantar em marinas em toda a América do Norte.

Jet ski elétrico sendo recarregado
O Orca Performance conta com carregador de fábrica e pode ser recarregado em até 3 horas e meia. Foto: Divulgação/Taiga

Ler o Anterior

Brasileiros teriam feito 25 voltas ao mundo com recargas da Volvo

Ler o Próximo

Mobilidade elétrica está na pauta de investimentos, mostra estudo

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular