Canal VE

14 de junho de 2024

Estudo: menos de 1% de carros elétricos novos trocaram baterias

Veículo elétrico sendo recarregado

Em modelos a partir de 2016, o número de substituição de baterias cai para menos de 1%. Foto: Envato/Elements

Um estudo realizado pela Recurrent Auto mostrou que menos de 1% dos carros elétricos vendidos nos Estados Unidos a partir de 2016 precisaram trocar o conjunto de baterias. O resultado do estudo exclui grandes recalls.

Os dados foram colhidos após a Recurrent, uma consultoria americana especializada na compra e venda de carros elétricos usados, avaliar cerca de 20 mil veículos, e pôde-se notar que a maior incidência de trocas foram feitas por modelos de anos anteriores a 2015, com taxas que chegam próximas a 13%, em média. Para modelos a partir de 2016, o número de trocas é inferior a 1%. Assim, dos 20 mil veículos avaliados, 2,5% dos veículos elétricos precisaram passar por reparos.

O estudo é importante para tirar as dúvidas dos consumidores quanto à qualidade dos carros elétricos. A bateria pode representar um custo de 30% a 50% em relação ao preço de um carro elétrico, segundo dados apresentados pela Recurrent.

Gráfico para mostrar a porcentagem de trocas de bateria por ano/modelo de veículo
Gráfico mostra que veículos mais antigos elevam a média de reparos na bateria. Foto: Reprodução/Canal VE

Avanço tecnológico pode baixar esses números

Outro ponto a ser levado em consideração é o avanço da tecnologia, com baterias cada vez mais eficientes, confiáveis e com maior durabilidade. De acordo com o estudo, entre 2015 e 2022, o tamanho médio das baterias aumentou 122%, o que significa que as baterias de veículos elétricos mais recentes podem perder mais capacidade, mas sem a necessidade de substituição.

 

Existe também os avanços para a produção em massa de baterias em estado sólido, o que pode aumentar ainda mais a durabilidade. Há também novas tecnologias, ainda em período de testes, como a substituição do lítio e utilização do sódio, o que poderia melhorar ainda mais o desempenho e diminuir o desgaste do equipamento com o tempo, sem levar em consideração o custo mais baixo.

A melhoria dos veículos também devem ser levados em consideração. Com o avanço da tecnologia empregada na produção e no desenvolvimento dos automóveis, a tendência é que a bateria seja um item com cada vez mais tempo de uso.

Ler o Anterior

Mini confirma Countryman SE ALL4 100% elétrico no Brasil

Ler o Próximo

Aliança pela Mobilidade inclui parceiros e meta para motos

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular