Canal VE

18 de maio de 2024

São Paulo terá R$ 2,4 bilhões para compra de ônibus elétricos

Frota de ônibus elétricos cinza estacionados na cidade de São Paulo

Com o aporte de R$ 2,4 bilhões, São Paulo vai investir na eletromobilidade do transporte público. Foto: Divulgação/BYD

A cidade de São Paulo vai receber um empréstimo de bancos internacionais no valor de US$ 500 milhões (aproximadamente R$ 2,4 bilhões) para investir na aquisição de ônibus 100% elétricos e na infraestrutura de recarga para a frota da cidade, que está promovendo a substituição gradual dos atuais ônibus a combustão.

A decisão foi publicada pelo governo federal em 21 de junho de 2023 no Diário Oficial da União, com aval do Cofiex (Comissão de Financiamento Externo). 

A verba será concedida por meio de dois bancos internacionais: o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e o BIRD (Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento).

Contudo, para receber esse montante, a prefeitura de São Paulo terá que comprovar para o Ministério da Fazenda que tem capacidade de pagar por esse empréstimo e oferecer uma garantia suficiente. A contrapartida da cidade será de US$ 125 milhões (aproximadamente R$ 596 milhões). Além de atender a essas exigências, São Paulo terá que comprovar que cumpre a Lei de Responsabilidade Fiscal.

O valor total servirá para o financiamento de ônibus elétricos e estruturas de recarga, além do desenvolvimento de estratégias para o fornecimento de energia.

Ônibus elétrico da Eletra utilizado no transporte coletivo de São Paulo tem a cor cinza
A meta de eletrificação em São Paulo já é antiga e foi alterada para que o cumprimento seja até 2037. Foto: Divulgação/Transwolff

Objetivo antigo

A eletrificação da frota de ônibus urbanos é uma meta antiga da prefeitura de São Paulo. Em 2009 a cidade já havia decretado que em um período de 10 anos toda a frota municipal deveria ser apenas de ônibus movidos a eletricidade.

Devido à distância para o cumprimento desses objetivos, em 2018 a Câmara revisou a meta prevista e alterou de 2019 para 2037 a data limite para a eletrificação das frotas urbanas de São Paulo.

Já no ano passado, a SPTrans, empresa responsável pelo transporte público da cidade, determinou a proibição para a compra de novos ônibus movidos a diesel, buscando acelerar a meta de eletrificação dos veículos públicos do município.

Ônibus elétrico prata parado enquanto passageiros embarcam
A cidade pretende ter até 2,6 mil ônibus elétricos em circulação. Foto: Divulgação/SPTrans

Perspectiva para o futuro

O prefeito da cidade, Ricardo Nunes (MDB), prometeu que até o fim de sua gestão, no final de 2024, haverá 2,6 mil ônibus elétricos em circulação pela capital paulista.

As concessionárias de transporte coletivo de São Paulo já encomendaram 2.152 novos ônibus elétricos, sendo 1.484 para iniciar a rodar ainda neste ano e 668 só em 2024.

Ler o Anterior

Contran muda classificação de ciclomotores: entenda as regras

Ler o Próximo

Marcopolo demonstra tecnologia dos ônibus elétricos no Brasil

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular