Canal VE

13 de abril de 2024

Projetos de engenharia adaptam tomadas para carregar veículos elétricos

Projetos de engenharia adaptam tomadas para carregar veículos elétricos

Foto: Envato Elements

Os VEs (veículos elétricos) estão crescendo cada vez mais no mercado de mobilidade urbana. Segundo a IEA (Agência Internacional de Energia), só no 1º trimestre de 2021 houve um crescimento de 140% nas vendas de VEs em todo o planeta. E em 2020, por exemplo, o mundo gastou cerca de US$ 120 bilhões na compra destes automóveis.

Leia mais: Venda de veículos elétricos bate recorde em 2021

Além de ser mais limpa, outra vantagem da energia elétrica em relação aos demais combustíveis é a praticidade: é possível abastecer o carro na garagem de casa, apenas com um carregador especial.

No entanto, apesar de ser uma ideia simples, no setor da engenharia civil essa adaptação exige mudanças mais profundas nos novos projetos residenciais. “Vários carros elétricos na garagem de um condomínio, por exemplo, sugerem que haverá um aumento no consumo de energia”.

“Então, além de painéis solares que forneçam parte dessa demanda, também estamos adaptando gerenciadores inteligentes de energia, que fazem a leitura e o direcionamento adequado do consumo”, disse João Borges, engenheiro eletricista e coordenador técnico da Projelet, escritório de engenharia focado no desenvolvimento de soluções inovadoras.

Ele explica que o mecanismo interrompe o abastecimento dos veículos conectados ao carregador enquanto há um consumo maior de eletricidade nos apartamentos. Quando essa demanda cai, de madrugada, por exemplo, os automóveis voltam a receber carga.

“Hoje é possível, inclusive, programar o horário de início e de término do abastecimento. E vale lembrar que a autonomia dos VEs é de algo em torno de 400 km. Dependendo dos hábitos do condutor, não é necessário abastecer todos os dias”, sugeriu Borges.

Segundo o especialista, o mais importante é que os condomínios sejam adaptados para uma nova realidade de mercado, mas sem abrir mão da sustentabilidade. A ideia é oferecer a inovação, mas dosando os picos de consumo de energia. “Usando a tecnologia da informação a nosso favor, isso é perfeitamente ajustável nos projetos de engenharia atuais”, avaliou.

“Faz parte da nossa competência identificar e antever as novas necessidades dos consumidores e levar isso para dentro dos projetos. A proliferação dos carros elétricos ou híbridos vai fazer com que o usuário explore ao máximo a possibilidade de abastecer o veículo na própria garagem. E as nossas novas tecnologias oferecem isso”, completou.

Compra de imóvel

O engenheiro alertou ainda que essa adequação deve ser uma das preocupações de quem tem interesse em comprar um imóvel. “A tendência para os próximos anos é de que os veículos elétricos se multipliquem mundo afora, e os condomínios que não estiverem preparados poderão ter valorização menor no mercado”.

“Este é um item que sem a menor sombra de dúvida os compradores de imóveis vão começar a procurar em breve. As residências e as salas comerciais sem carregadores apropriados para abastecimento dos carros ficarão menos valorizadas. Parar nos postos de combustíveis pode continuar sendo rotina para os donos de eletrificados, mas só para aqueles que não têm um imóvel adaptado à sua necessidade”, concluiu.

Originalmente publicado por Canal Solar

Ler o Anterior

PHB lança estação de recarga para veículos elétricos

Ler o Próximo

Venda de veículos elétricos bate recorde em 2021

Deixar uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Popular